Bem-vindo

Este é o portal do Curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas. Aqui o educador encontrará notícias relacionadas, informações sobre o curso, tirar suas dúvidas e ter acesso à plataforma do curso.

 

 

 

Notícias

Estudo confirma associação entre reprovação escolar e uso de drogas

Em 28 de agosto de 2014.

A associação entre o uso de drogas e o mal desempenho escolar reforça a necessidade de professores preparados para lidar com o problema dentro das salas de aula. Na tentativa de verificar essa associação em termos práticos, pesquisadores do Instituto Federal Goiano do câmpus de Urutaí realizaram entrevistas com 371 discentes do ensino médio de uma escola pública do município de Pires do Rio (GO). Os dados compilados confirmam a associação, iluminam outros números e são expoentes de uma situação que precisa mudar.

O texto completo do artigo, O uso de drogas e desempenho escolar entre jovens e adolescentes do ensino médio de uma escola pública de Pires do Rio-GO,  pode ser acessado aqui.

Para falar sobre a pesquisa, conversamos com o professor Guilherme Malafaia, coordenador do estudo. Confira a entrevista logo abaixo.

 

O estudo encontrou uma nítida associação entre reprovações escolares e o uso de drogas: 32,6% dos alunos que já tiveram contato com alguma droga apresentaram reprovações escolares e esse número cai para 17,2% entre os que nunca utilizaram nenhum tipo de droga. A que se deve esse fato?

A associação encontrada em nosso estudo já foi demonstrada em outros trabalhos similares. Muitos pesquisadores atribuem essa associação aos prejuízos causados pelas drogas na saúde mental e física dos adolescentes, sendo importante que as intervenções sejam voltadas para os aspectos de vulnerabilidade inerentes à idade e que se estabeleçam ações para prevenir o primeiro uso de drogas. A disponibilidade de informações sobre as drogas e uma estrutura familiar adequada e protetora, em particular, podem ser observadas como razões importantes no afastamento de jovens das drogas e de suas complicações.

 

A influência dos amigos é apontada como a causa principal para iniciar o uso de drogas. Vocês vêem esse como o principal estímulo para a entrada no mundo das drogas? Quais outros fatores corroboram para o início do uso e como bloqueá-los?

Vários fatores estão associados ao uso de drogas, os quais dependem dos grupos populacionais a serem considerados. As más amizades ou más influências, sem dúvidas, é um dos fatores gerais. No entanto, autoestima enfraquecida, curiosidade, problemas no relacionamento familiar, fuga de algum problema pessoal, falta de informação e/ou informações distorcidas também podem contribuir para o início do uso das drogas. É difícil dizer como esses fatores devem ser bloqueados, uma vez que, o uso de drogas envolve uma complexidade muitas vezes difícil de ser entendida. Porém, ações generalistas como a educação, a promoção de respeito ao próximo e diálogos permanentes são fatores que podem contribuir com a minimização da problemática envolvendo drogas e adolescentes.

 

Para além dos dados obtidos, como foi a experiência de lidar com alunos que são usuários de drogas? Houve resistência em participar da pesquisa?

Sempre que trabalhamos com pesquisas que  envolvem seres humanos tomamos cuidado com os aspectos éticos envolvidos no estudo. O anonimato sempre é garantido aos participantes e acreditamos que isso diminui a resistência dos estudantes (usuários ou não) a participarem do estudo. A experiência em trabalhar com usuários de drogas é sempre desafiadora e ao mesmo tempo enriquecedora, uma vez que, conhecemos a realidade dos estudantes e conhecemos os motivos do ingresso no mundo das drogas e as experiências vivenciadas por eles.

 

Dados encontrados por vocês mostram que a maioria dos estudantes (cerca de 45%) acreditam que palestras e campanhas ajudariam a resolver o problema. Vocês concordam com esse tipo de medida?

Acreditamos que quaisquer estratégias ou iniciativas que busquem conscientizar, sensibilizar e alertar os jovens estudantes sobre os malefícios das drogas (ilícitas ou lícitas) são benéficas. Contudo, é preciso ir além das tradicionais palestras e campanhas pontuais. Acreditamos que seja necessário investir em atividades ou ações contínuas e interdisciplinares, as quais envolvam diferentes atores sociais, áreas do conhecimento e tecnologias.

 

Ao final do artigo, há a menção de que é importante “eliminar ou  reduzir obstáculos que incluem  a conotação moral das drogas, colocadas no lugar de bode expiatório da sociedade atual”. Vocês poderiam explicar melhor esse trecho?

Na ocasião queríamos ressaltar que não podemos entender as drogas como o elemento que explica tudo que não vai bem numa nação ou todos os problemas ligados aos adolescentes. A pobreza, crime, violência, desestruturação familiar, crianças abandonadas, insucessos pessoais e falências financeiras não necessariamente possuem origem nas drogas. É necessário encarar o problema das drogas de uma forma mais geral e compartilhada entre diferentes segmentos da sociedade. Nesse sentido, consideramos muito importante as iniciativas voltadas à capacitação docente para lidar com problemas envolvendo drogas.

 

No trabalho, vocês advertem para a necessidade de se implantar políticas públicas de prevenção. Acreditam que a proposta do curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores Públicos segue na direção certa? Porquê?

Sim. Sem dúvidas, iniciativas como a formação promovida pelo curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores Públicos (parceria entre Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e UFG) são muito importantes e necessárias. Tais iniciativas podem proporcionar além da capacitação de educadores para ligar com a problemática na sua escola, reflexões importantes para subsidiar a prática pedagógica do docente. Além disso, acreditamos que essas iniciativas podem contribuir significativamente para o fortalecimento da comunidade escolar no desenvolvimento da política de prevenção do uso de drogas (na escola) por meio do aperfeiçoamento e implementação dos projetos de prevenção construídos coletivamente e coordenados pelos educadores.

 


ver todas as notícias
 

O Curso

Apresentação

O Curso

Aberto aos profissionais de Escolas Públicas de todo o Estado de Goiás, o Curso de Prevenção ao Uso de Drogas será realizado na modalidade a distância, entre os meses de abril e novembro de 2014, com carga horária de 180 horas. É dividido em 4 módulos temáticos (teórico-metodológicos) e um quinto módulo de acompanhamento à implementação do projeto de prevenção elaborado no decorrer do curso (fase prático-interventiva).

Promovida pela Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas, a formação está sendo oferecida gratuitamente em todos os 246 municípios do Estado de Goiás pela Universidade Federal de Goiás (UFG), com sede em Goiânia. A oferta será realizada em duas etapas, com 5.000 vagas oferecidas em 2014 e outras 5.000 no ano de 2015.

slide1

Objetivos

Objetivo Geral
Capacitar profissionais das Escolas Públicas para o desenvolvimento de práticas educativas e preventivas do uso de álcool, tabaco, crack, e outras drogas no território escolar.

Objetivos Específicos

  1. Favorecer a compreensão do papel do educador e sua atuação preventiva e educativa no contexto do uso do álcool, tabaco, crack, e outras drogas no território escolar.
  2. Capacitar educadores para o reconhecimento de vulnerabilidades e para o adequado encaminhamento para a rede de serviços de atenção aos usuários e familiares com contínuo acompanhamento no ambiente escolar.
  3. Orientar a produção de saberes sobre o uso do álcool, tabaco, crack, e outras drogas no contexto da infância e adolescência por meio do reconhecimento do perfil do educando e da sua realidade social.
  4. Promover e supervisionar a elaboração e execução dos projetos de prevenção do uso de drogas nas escolas.

slide2

Metodologia do Curso

A formação, com carga horária de 180 horas, será ofertada totalmente a distância, com um evento como aula inaugural e apenas um encontro presencial ao final do curso. Os alunos terão acesso a videoaulas e a materiais impressos e interativos, além do ambiente virtual de aprendizagem (AVA). Este ambiente é composto por conteúdos e recursos didáticos que possibilitam a aprendizagem de conceitos e metodologias de prevenção do uso de drogas. As atividades possibilitam produções individuais e produções colaborativas no ambiente virtual e no contexto da escola.

Os quatro primeiros módulos tratam de conceitos, abordagens e metodologias relacionados à prevenção do uso de drogas. O quinto módulo consiste de orientações didáticas para a implementação de ações do Projeto de Prevenção construído no decorrer do curso.

slide3

Estrutura do Curso – Módulos I a IV

Fase Teórico-metodológica

Módulo IO adolescente em desenvolvimento na família e na escola

  • Conhecendo os atores da comunidade escolar;
  • Fatores de risco e proteção na adolescência;
  • A escola como contexto de promoção de saúde;
  • Perspectiva da Transmissão Transgeracional do uso de drogas.

Módulo IIConceitos e informações básicas sobre drogas e prevenção

  • O que são drogas?
  • As relações com as drogas e as diferentes abordagens;
  • O uso de drogas no Brasil;
  • Redes sociais e prevenção do uso de drogas no contexto da escola.

 

Módulo IIIA prevenção do uso de drogas no modelo da educação para a saúde e das redes sociais

  • Modelo sistêmico e da educação para a saúde na prevenção;
  • Mobilizando redes sociais no trabalho comunitário;
  • Acolhendo adolescentes em situação de risco.

Módulo IVAções preventivas do uso de drogas na escola

  • Apostando no protagonismo juvenil;
  • Integrando a prevenção no currículo escolar;
  • Resgatando a autoridade da família e da escola;
  • Fortalecendo a escola na comunidade.

Estrutura do Curso – Módulo V

Fase Prático-interventiva

  • Reunindo o grupo e revisando o projeto de prevenção de acordo com a realidade da escola;
  • Socializando o projeto na comunidade escolar e ampliando reflexões e parcerias do projeto;
  • Implementando ações preventivas: da teoria à prática e do planejamento a implementação do projeto;
  • Registrando a experiência das ações preventivas;

Materiais e Carga Horária

O curso contará com uma carga horária total de 180 horas distribuídas em duas etapas, conforme os materiais disponibilizados aos alunos.

Etapa I (130 horas):

  • 80h de Vídeo-aulas e materiais interativos disponíveis em DVD;
  • 40h de Estudo e atividades complementares, disponíveis em material impresso;
  • 10h de Interatividade em ambiente virtual de aprendizagem (AVA);

Etapa II (50 horas):

  • 10h de Interatividade em ambiente virtual de aprendizagem (AVA);
  • 40h de elaboração em grupo de projeto de prevenção como atividade final de conclusão do curso;

Avaliação

A menção do cursista será composta por 10% de atividades individuais e 90% com a realização de tarefas coletivas. As tarefas individuais consistirão no preenchimento dos questionários virtuais ao final de cada módulo e sua participação nas discussões. Se necessário, as atividades também poderão ser remetidas por e-mail.

As atividades coletivas serão realizadas pelos cursistas da mesma escola, orientadas pelo encarte impresso e ambiente virtual. Trata-se de atividades que constituem exercício integrador de teoria e prática, favorecendo a elaboração gradativa do projeto de prevenção para a escola, construído no decorrer do curso e ainda, de atividades investigativas, visando melhor conhecimento do perfil do aluno, das vulnerabilidades e riscos e do papel da escola na comunidade. As atividades avaliativas devem ser prioritariamente coletivas, possibilitando a criação de equipes de trabalho numa mesma escola ou agrupando mais de uma escola por região, reforçando o caráter social do curso.

O resultado do processo de avaliação deverá ser expresso em um único conceito que represente todas as atividades desenvolvidas nos módulos.

Certificação

O cursista será certificado com o Curso de aperfeiçoamento, a partir do cumprimento das atividades avaliativas e da elaboração e apresentação do projeto de prevenção. O certificado de conclusão do curso deverá ser emitido pela Universidade Federal de Goiás.

 

Contato

Entre em contato conosco pelo formulário de contato ou pelo e-mail comunicacao.ciar.ufg@gmail.com

 

 

 

 

Faculdade de Direito da UFG
Piso Superior, Sala 03, Praça Universitária, Goiânia - GO
Telefone: (62) 3209-6517 / 6518

 

Acesso ao Curso

 

Esta seção é de acesso restrito aos Cursistas

Caro Cursista,

Bem-vindo!

Nesta seção, você poderá acessar o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do curso. O AVA é o seu principal canal de comunicação com os tutores e colegas de curso e também com a equipe de professores da coordenação. Dentro dele, você terá acesso às videoaulas, textos, fóruns de discussão e campos para postagem de trabalhos e tarefas, além de informações referentes ao calendário e a outras atividades do curso.

Para entrar no Ambiente do curso, clique no botão abaixo para fazer o seu login.


Login no moodle